[.]

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Luzinhas

Quando eu era pequena me deram de presente um livro chamado "Se ligue em você" do Luiz Antonio Gasparetto, ele contava que todas as crianças possuiam dentro de si luzinhas, e essas, quando acesas traziam a tona todos os sentimentos bons fazendo o brilho sair pelo corpo inteiro através de um sorriso, um abraço, uma gentileza...Porém quando apagadas geravam medo, nervoso, sentimentos ruins que poderiam facilmente ser acabados com as luzes novamente acesas.
Eu fiz questão de me lembrar desse livro nesses últimos dias, pois eu sei que as minhas luzinhas estavam apagadas, eu não estava tendo dias muitos bonitos, não por conta dos dias, mas porque eu não estava deixando as minhas luzes se acenderem. Daqui a pouco esse post terá como trilha sonora a musica "firework" da Katy Perry, rsrs,..Voltando a falar sério, realmente não estava vendo as coisas da melhor maneira. Sempre gostei de pensar positivo, mas por outro lado, sempre idealizei muito as coisas e ficava ansiosa esperando pra que elas acontecessem do meu jeito, e ai lógico, como raramente as coisas saem como esperamos, aparentemente nada do que eu queria estava acontecendo. Passei acho que uns bons dias e semanas só reclamando, não SÓ reclamando, mas reclamando mais do que devia. Logo eu que sempre fui maior alto astral nesse bode? Chega! Já fazem dias que estou para vim aqui e publicar algo sobre os fogos de artificio do meu peito,rsrs, sem exageros agora, apertei todos os interruptores e acendi minhas luzes. Chega de brincar de pisca-pisca, eu quero ofuscar, brilhar igual farol para poder guiar pessoas próximas a mim da mesma maneira que elas me guiaram nesses meus dias escuros.
Agradeço muito, mas muito mesmo à Deus que sem dúvidas foi meu maior eletricista, consertou e ligou todos os fios que tinham dado curto e renovou todas as fiações para que as luzes fiquem brilhando por muito mais tempo. Minhas "novinhas," também foram essenciais no processo. Aliás todos àqueles que me ouviram e estiveram do meu lado me emprestando um pouquinho de brilho, o meu sincero obrigada, vocês sabem que são especiais!
Chega de agradecimentos e de coisas pessoais, no geral agora, tirando minhas conclusões de todo esse período, a lição que tiro de tudo isso é: veja o seu problema ou aquilo que te causa angustia, ansiedade, como uma criança que quer brincar do lado de fora de casa e não pode porque está chovendo muito forte. Você tem três opções: a) você pode ficar na janela sofrendo, chorando, brigando com seus pais que não te deixam sair e fazer o tempo passar mais devagar e a chuva parecer não passar nunca; b) você pode teimar com todo mundo e ir lá fora brincar e correr o risco de se lambuzar de lama, cair na enxurrada, com o vento algum galho de árvore pode se desprender e cair em você, um raio pode te atingir, pode se molhar e pegar uma gripe forte, ou seja, as coisas podem ficar pior; c) você pode ligar sua televisão, fazer um chocolate quente, comer um pedaço de bolo e ficar distraído com outras coisas enquanto a tempestade não passa.
Com os probelmas da vida que não tem o que fazermos é a mesma coisa, existem sempre essas opções, você pode ficar sentado em cima deles esperando que alguma coisa mude sem que vocês faça nada, você pode teimar com todo mundo e dar murro em ponta de faca até ficar sem dedo ou pode ocupar sua mente com inumeras outras coisas e acabar até se esquecendo do ponto que era problematico. Para o que não tem remédio, remediado está não é?
Pois foi isso que resolvi fazer, tirei a viseira de cavalo que só me mostrava o que estava na frente me machucando e comecei a reparar em quantas outras coisas existem para ser observadas, em quantas outras coisas existem para ser motivo de preocupação, e em como a minha vida é boa e feliz!
Encerro o post de hoje com um pedaço do livro que citei no começo e desejo para você que está acabando de ler, que realmente saiba e consiga mudar o foco. Não há dor que dure para sempre, nem alegria que nunca acabe, mas lembre-se se você joga uma colher de sal num copo a agua ficará salgada mas se você joga num rio não fará diferença nenhuma. Seus problemas, suas dores, são do tamanho que você enxerga que elas sejam, assim como os sonhos. Tudo passa, tem que passar, mas você tem que permitir que isso ocorra!
"[...]Ela se acende quando você pensa positivo. E você pensa positivo quando ela se acende. Ela brilha quando você faz carinho nas plantas, nos animais e nas pessoas. Também quando sua mãe lhe dá um presente ou quando você come um doce gostoso.Ela brilha mais ainda quando você dá um pedaço do seu doce para seu amigo.
Mas, muitas vezes nós deixamos nossa luzinha se apagar.
Quando ela se apaga, você sente medo.
O medo aparece quando você pensa que uma coisa ruim pode acontecer com você ou com a
lguém de quem você gosta.
Quando você tem coragem, a luzinha volta a se acender.


Coragem é o nome do sentimento que acontece quando você acredita que só coisas boas podem ocorrer com você e com os outros.[...]"

Beijos iluminados
A.

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Consideração (adaptado)

Já tinha um tempo e resolvi ir nessa festa com cara de festa que você vai. Toda pessoa de barba que entrava eu achava que era você. Assim como acho quando estou na rua, no supermercado, na fila do cinema, dormindo. Virei uma caçadora de pessoas barbudas. Virei uma caçadora de você em todas as pessoas. Então você chegou à festa. E eu apenas sorri e sorri e sorri. Porque era isso. Eu queria te ver apenas. A dor numa caixinha embaixo dos meus pés e eu mais alta pra poder te abraçar sem dor, perto da sua nuca e por um segundo. Eu te acho bonito de formas tão variadas e profundas e insuportáveis. Eu vejo você parecendo um leãozinho na frente da festa. Concentrado e analisando. O rei escondido escolhendo a presa que não vai atacar. Com sua eterna tristeza cheia de piadas afiadas. Suas facas afiadas de graças para defender as tristezas que nadam baixas nos seus olhos de quem não quer fazer mal. Mas faz. Seus olhos, baixos. Em volta um riozinho melancólico e no centro o sol feliz e novinho chegando. E tudo isso vem forte como um soco de buquê de flores de aço no meu estômago. E eu quero ir até você e te dizer que eu sei que você se sente péssimo quando pessoas brigam. E como eu gosto de você por isso. E como eu queria tirar toda minha insensibilidade pra você jamais se entristecer por causa de briga dos outros. E como eu gosto de você por causa do e-mail que você mandou pro seu amigo sem noção. Como gosto quando você lembra de alguém e precisa demonstrar naquela hora porque tem medo da frieza das suas distrações. Suas listas de culturas e coleções. Os gibis. Os livros, CDs e filmes colorindo a prateleira, como artigos de decoração me matam. A história do milagre que te salvou quando você era pequeno e fraco, que ninguém achava que você iria “vingar”. Você arrepiado falando em anjos. Seus espasmos enquanto seu sono aprofunda.  Essas suas delicadezas em detalhes dormem e acordam comigo. Acariciam e perfuram meu peito  as vinte e quatro horas do dia. Uma saudade dos mil anos que passamos, ou das três semanas, ou dos dezenove meses. A loucura de gostar tanto pra tão pouco ou simplesmente a loucura de tanto acabar assim. Fora tudo o que guardei de você, me restou a consideração que você guardou por mim. Sua ligação depois, quando se lembra de cobrar ou pedir algo. Sua mão estendida. Sua lamentação pela falta de tempo. Sua gentileza e as vezes frieza disfarçada de vergonha por não gostar mais de mim. A maneira que você tem de pedir perdão por ser, mesmo sem querer , mais um cara que parte assim que rouba um coração. Você é o mocinho que se desculpa pelo próprio bandido. Finjo que aceito suas considerações mas é apenas pra ter novamente o segundo. Como o segundo do meu nariz na sua nuca quando consigo, por um segundo, te abraçar sem dor. O segundo do seu nome na tela do meu celular. O segundo da sua voz do outro lado como se fosse possível começar tudo de novo e eu charmosa e você me fazendo rir e tudo o que poderia ser. O segundo em que suspiro e digo alô e sinto o cheiro da sua sala. Então aceito a sua enorme consideração pequena, responsável, curta, cortante. Aceito você de longe. Aceito suas costas indo. Aceito o último passo virando a esquina. O último fio preso no pé da minha cama. Não é que aceito. Quem gosta assim não come migalhas porque é melhor do que nada, come porque as migalhas já constituem o nó que ficou na garganta. Seus pedaços estão colados na gosma entalada de tudo o que acabou em todas as instâncias menos nos meus suspiros. Não se digere amor, não se cospe amor, amor é o engasgo que a gente disfarça sorrindo de dor. Aceito sua consideração de carinho no topo da minha cabeça, seu dedilhar de dedos nos meus ombros, seu tchauzinho do bem partindo para algo que não me leva junto e nunca mais levará, seu beijinho profundo de perdão pela falta de profundidade. Aceito apenas porque toda a lama, toda a raiva, todo o nojo e toda a indignação se calam para ver você passar.
[texto adaptado]

Beijos
A.

terça-feira, 16 de agosto de 2011

De vingança, amor, fé, esperança e Eu!

Nada haver o título ne? Eu sei, mas foi o que mais tinha nexo com o assunto que me martelou a cabeça hoje.
Passei o dia todo com a música "O troco" da Maria Cecília e Rodolfo  na cabeça e fiquei pensando quantas pessoas realmente não acreditam nisso?
Vou copiar a letra da música aqui porque eu sei que muita gente não gosta de sertanejo e não vai querer ouvir, então só presta atenção na 'poesia' da música:
"Todo o tanto que você chorar pra mim é pouco,
Você tá tendo o troco, falei que ia ter troco
Pode rastejar, implorar, pedir perdão,
eu vou olhar na tua cara e ficar repetindo não...


O que aconteceu, cadê seu novo amor?
Me trocou por ela, agora você se ferrou
Esperou dar tudo errado, pra vim me procurar
Mas, quebrou a cara, porque eu não vou voltar...

Perdi as contas de quanto eu te liguei,
Chorei, implorei, pedi perdão,
Você foi embora, mas eu te avisei
Que nunca mais voltaria pro meu coração"

Essa é a letra de UMA música que trata sobre essas "vingancinhas", existem váaarias,  no momento só lembro dos sertanejos, mas certamente se eu fizesse uma busca encontraria outros estilos musicais com o mesmo tema.
O engraçado é que realmente muitas pessoas pensam dessa forma: "ah ele terminou comigo? Eu to sofrendo mas vou arrumar outro e mostrar que to bem e quando ele quiser voltar vou fazer ele sofrer igual eu sofri." Típico pensamento de orgulho ferido. Ok! Seria muuuuuuuuita hipocrisia da minha parte dizer que eu mesma nunca pensei dessa forma. Não, não, eu não sou um ser evoluído a esse ponto. Inumeras vezes já pensei em arrumar uma pessoa melhor só pra esfregar na cara ou em dar aquela esnobada, mesmo sozinha, só pra outra parte sentir o gelo. O problema é: eu penso nisso, eu até falo disso, mas na hora de fazer mesmo eu não faço. Acho meio bobo fingir uma coisa que não existe. Para que fingir que to bem se ainda tô mal? Não é vergonha ficar triste por conta de decepções é? Eu não roubei ninguém, não fiz nada de errado, então qual o problema de assumir a tristeza? Ela vai passar. E quando passar, ai sim todos saberão que estarei bem de verdade, por inteira. Até lá vivo meus breves momentos de felicidade compartilhada com amigos e as vezes até sozinha lendo ou estudando ou lembrando de alguma coisa boa..Só que o que EU sinto não é o foco.
O foco de hoje é essa história das pessoas misturarem vingança com amor.
De acordo com a bíblia, em 1Co 13 a partir do versículo 4, " o amor é sofredor, é benigno; não é invejoso; não se vangloria, não se ensoberbece. Não se porta inconvenientemente, não busca os seus próprios interesses, não se irrita, não suspeita mal. Não se regozija com a injustiça, mas com a verdade. TUDO SOFRE, TUDO CRÊ, TUDO ESPERA, TUDO SUPORTA.", ou seja, vingança ou qualquer outro sentimento ruim como orgulho, não tem nada haver com amor.
Acredito que amor seja o sentimento mais sublime de todos. Isso porque junto com ele sempre vem a fé e a esperança. Esse trio sempre esteve muito presente em minha vida. Eu sempre espero de mais de tudo. Das situações, das pessoas, de mim, de tudo...E não só espero, porque enquanto espero sempre acredito que vai acontecer o que eu estou esperando, caracterizando assim, a minha fé.
Por ter fé,amor e esperança, eu raramente penso em vingança. Eu sou um pouco rancorosa, mas sempre passa muito rápido. Graças a Deus meu coração é bom e minha memória seletiva! ;)
Eu não penso em dar o troco e muito menos em ficar me fazendo de difícil para alguém. Já disse antes, não nego sentimentos.  Sou super indiscreta, não consigo fingir emoções, meu jeito, meu olhar e minhas expressões sempre me denunciaram. Eu gosto disso. De ser autentica. De falar o que eu sinto e o que eu penso. Ainda que ninguém pergunte. Se junta a pelota na garganta, boto pra fora mesmo. Dentro de mim só quero coisas boas!
Por isso moçada vamos esquecer essas histórias de "dar o troco", de se fazer de dificil, de "chora me liga implora", alguém me explica pra que serve tudo isso? Só pra te fazer ficar pensando ainda mais na pessoa que te decepcionou, ou largou ou por qualquer motivo que esteja te deixando triste com alguém?
Independente da situação, quem já viveu muito tempo sabe, a vida se encarrega de dar o troco. Não precisa ficar matutando em casa alguma tramóia. Até porque quando jogamos o amor de alguém no lixo a dúvida vira nossa maior companheira. Quando ta tudo bem, tá tudo bem. Mas quando alguma coisa tá mal você se pega pensando em se valeu a pena ter feito tanta "graça", ter desperdiçado algo tão escasso no mercado. Não faça isso, a única pessoa prejudicada é sempre você!
 O meu último recado, antes de encerrar, é:
Se um dia as coisas mudarem. Se por um acaso você me fizer algum mal, me decepcionar, me deixar triste, sair de perto, enfim, fizer algo que saiba que eu não gostei e me chateou, eu SEMPRE estarei esperando por alguma atitude! Não darei o troco, não te tratarei mal, por mais chateada que esteja. Sempre espero alguma coisa boa das pessoas. E garanto, quando houver essa atitude você terá feito eu me sentir muito feliz!
Eu não preciso de alguém rastejando no meu pé. Eu quero gente que esteja do meu lado!

Beijos
A.

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

HOJE EU NÃO VOU ESCREVER NADA. SÓ COPIAR!

Honestamente, hoje eu estou com uma baita preguiça de pensar e escrever alguma coisa. Não é bem preguiça, é que tenho várias idéias e muitas coisas passando na cabeça sobre o que escrever,  e ai para parar, pensar editar tudo na mente pra depois transmitir para cá dá preguiça. Tô sem paciência na verdade!
Não queria deixar sem nada hoje, então agarrando ao modelo do post anterior vou pegar algumas frases e trechinhos bons de escritores e livros que tenham haver com o que eu estou sentindo ou pensando e transmiti-los para cá. De certa forma estarei dando meu pitaco em alguma coisa mas não com as minhas palavras...rsrs
Escolhi dois escritores que gosto muito, um tem uma escrita mais fria eu diria, ele é mais sério, os dois livros que li dele são uma mistura deliciosa de drama com suspense, a narrativa é boa, ele coloca detalhes sem deixar a história cansativa estou falando do Markus Zusak, autor de A Menina de Roubava Livros e Eu Sou o Mensageiro.
O outro autor, ainda hoje estava comentando sobre ele com uma amiga. Dizíamos que ele escreve muito "mel com açucar". É sempre um romance, um drama, mas aquele amor bonito, que supera tudo sabe? A maior parte dos livros dele acabam virando filmes pelo lado romantico que ele explora sem ter medo de ser de mais. Estou falando do Nicholas Sparks, autor dos bests sellers Um Amor Para Recordar, A Última Música, Diario de Uma Paixão, Querido John, Noites de Tormenta e O Milagre. Pelos titulos já se nota o clima de romance dramatico no ar...rsrsrs..

Vamos às frases e aos trechos:

"Uma definição não encontrada no dicionário. Não ir embora: ato de confiança e amor."
Markus Zusak

"Às vezes as pessoas são bonitas. Não pela aparência física. Nem pelo que dizem. Só pelo que são."
Eu sou o Mensageiro.
Markus Zusak.

"Odiei as palavras e as amei,
e espero tê-las usado direito."
A Menina que Roubava Livros.
Markus Zusak

"Por vezes a minha dor é esmagadora, e embora compreenda que nunca mais nos voltaremos a ver, há uma parte de mim que quer agarrar-se a ti para sempre. Seria mais fácil para mim fazer isso porque amar outra pessoa pode diminuir as recordações que tenho de ti. No entanto, este é o paradoxo: Embora sinta muitíssimo a tua falta, é por tua causa que não temo o futuro. Porque foste capaz de te apaixonar por mim, deste-me esperança, meu querido. Ensinaste-me que é possível seguir em frente com as nossas vidas, por mais terrível que tenha sido a nossa dor. E à tua maneira, fizeste-me acreditar que o verdadeiro amor não pode ser negado"
Nicholas Sparks

"Antes de nos termos encontrado, atravessava a vida sem sentido, sem razão. Sei que de alguma maneira, todos os passos que dei desde o momento em que comecei a andar eram passos dirigidos ao teu encontro. Estávamos destinados a encontrarmo-nos. Mas agora, sozinho na minha casa, comecei a perceber que o destino pode magoar uma pessoa tanto quanto a pode abençoar, e dou por mim a perguntar-me porque razão - de todas as pessoas do mundo inteiro que alguma vez poderia ter amado - tinha de me apaixonar por alguém que foi levada para longe”
Nicholas Sparks

"...o melhor amor é aquele que acorda a alma
e nos faz querer mais,
que coloca fogo em nossos corações
e traz paz as nossas vidas,
foi isso que você fez comigo
e era isso que eu queria ter feito com você pra sempre..."
Diário de uma paixão-Nicholas Sparks

"Ás vezes é preciso afastares-te das pessoas que mais gostas. Mas isso não quer dizer que as amas menos.. às vezes amas ainda mais"
Nicholas Sparks

"Perdi-te, mas só te digo isso: só resta a luta para se recuperar o que se perdeu..."
Nicholas Sparks

"A vida - entendeu - era bem parecida com uma música.
No começo há mistério, e no final, confirmação, mas é no meio que reside a emoção e faz com que a coisa toda valha a pena. (...) Finalmente, havia entendido que a presença de Deus está em todo lugar, em todos os momentos e é sentida, em um momento ou outro, por todas as pessoas. (...) Deus - entendeu subitamente - era o amor em sua mais pura forma."
A Última Música-Nicholas Sparks

"Quando as pessoas se importam umas com as outras, sempre dão um jeito de fazer as coisas darem certo."
Nicholas Sparks

"A verdade só tem significado quando é difícil de ser admitida!"
Nicholas Sparks

"Não sou nada especial; disso estou certo. Sou um homem comum, com pensamentos comuns e vivi uma vida comum. Não há monumentos dedicados a mim e o meu nome, em breve, será esquecido, mas amei outra pessoa com toda a minha alma e coração e, para mim, isso sempre bastou."
Nicholas Sparks

“Precisava voltar. Pegar o primeiro avião e ir ao encontro dela novamente. Falar com ela, tentar convencê-la que nunca havia dito algo tão sério em toda sua vida, como quando disse que a amava. Dizer-lhe que não conseguia imaginar a vida sem ela. Dizer-lhe que faria o que fosse preciso para que pudessemos ficar juntos.”
Nicholas Sparks

E essa foi a publicação xoxa de hoje. Que mesmo com poucas palavras minhas, expressa bastante o que eu penso ou sinto.

Beijos
A.


domingo, 14 de agosto de 2011

Livrinhos que animaram meu fds

Esse final de semana me dediquei  muito à leitura. Fui e voltei de São Paulo de ônibus, o que significa que tive boas horas de leitura. Na ida estava terminando de ler um livro da Fernanda Young chamado O Pau. A história é bem viajada,mas uma viagem que você fica pensando o tempo todo "será possivel?", a personagem principal (Adriana) na verdade é bem louca. Ela é uma mulher que se relaciona com um jovem ator14 anos mais novo que ela. Ela é toda culta, viajada, de família rica e ele é ator de teatro praticamente sem recursos. Ela conta que o que ele tinha de mais atraente era a beleza e ainda assim forçava demais por fazer clareamento dentario e deixar os dentes muito brancos, coisa que ela detestava. Além das manias de super cuidado com pele, cabelo, etc, coisa que nem ela que era mulher se cuidava tanto. Uma vaidade exagerada e pra ela desnecessária. Ela gostava dele, lendo o livro eu acho que na verdade ela gostava do que ele proporcionava à ela, dos sentimentos, os momentos de prazer e da sensação que ela tinha ao poder ensinar as coisas pra ele. Ela gostava de saber que fundo culturalmente ela era melhor que ele. Até que um dia ela descobre uma possivel traição e desencadeia a maior série de tortura como vingança. Ela amarra ele na cama e faz uma sequencia de coisas para deixa-lo "broxa" para sempre. Com um "pau" mas  broxa. Ela trabalha com o psicologico dele, com as sensações dele, e narra direitinho cada passo do processo que dura apenas uma noite. Contando assim, parece meio idiota, e as vezes até é. Mas a narrativa é muito boa e ela (Adriana) é muito inteligente, então em vários momentos ela cita escritores e frases muito boas, ela tem uns pensamentos muito bons também.No fundo de tudo sempre tem algo de bom para ser tirado. Eu tirei algumas frases espalhadas pelo livro que achei muito boas e vou compartilha-lhas:

"[...]que o amor é realmente cego - até a primeira decepção. E que a visão que renasce, em quem amou cegamente e se viu enganado, tem lentes telescópicas. Da cegueira, você passa a enxergar tudo."

"[...] - a prova de que há um tipo de gente que se torna menos sensata, depois que passa a saber demais sobre os seres humanos.[...] As pessoas tem uma inteligência emocional diferente da inteligencia propriamente dita. E que essa inteligencia emocional, quando falta, pode fazer um gênio da matemática agir como uma anta do pantanal."

"Os melhores homens são os que mentem com estilo."

"- Veja, ele é lindo mas é genial. E nada mais incrivel do que genialidade proporcional à beleza. Sendo que ser genial é apenas uma questão de dedicação e esforço.
Como você é muito bonito, terá que se esforçar bem mais que os outros."

"...naquele instante, sentia-se capaz de subir numa torre, com uma espingarda, e atirar em inocentes."

"-E-mail? A senhora tem e-mail?
-Não.
-Hum?
-Eu não tenho e-mail. Uso pombo-correio."

"Quo vadis?"

"...percebendo que a elegância estava diretamente ligada à leitura."

"E eu vou matar esse fdp, por ter me transformado nessa que estou sendo agora."

"Quando pensamos sobre algo, e esse pensamento fica mais alto que o sentimento, é porque o sentimento já não vale mais a pena."

"[...]Simplesmente, amar a si é muito confuso para quem traz em cada pé, imãs opostos."

Além desse livro doido, na volta da viagem eu li um do Arnaldo Antunes chamado 40 escritos. São algumas publicações dele em jornais e revistas nas décadas de 80 e 90. Bem legal também. Estilos totalmente diferentes. Nesse do Arnaldo não há em si uma histórias, são simples publicações, opiniões que ele dá a respeito de algo da época ou algum livro. Eu separei também algumas pequenas frases desse outro:

"Eu devo ser um pouco bandido, se tanta gente me viu com esse olho.Eu devo ser um pouco bandido, um pouco louco, um pouco coitado, um pouco perigoso, artista, otário.
 Porque ninguém está imune ao olho do outro."

"[...]Ele está sempre disposto a reaprender como se aprende a cair depois que já se sabe andar."

"Mas normalmente os burros tentam esconder a própria burrice - o que os diferencia dos chatos, que ostentam inevitavelmente a sua condição. A burrice cantada na primeira pessoa é, ao menos, diferente."

"Fazer daquele local suportável, mas não agradável. Era preciso mantê-lo inóspito (saber a todo momento que não tinha nada a ver comigo), mas era onde eu estava, então nem tanto e por isso mesmo. Procurava o ponto de equlíbrio entre o desejo de sair e a capacidade de me relacionar com aquilo."

"Clareza. Falem claro. Dois olhos sabem ver mas não são o faro."

"A crise do sentido é também uma crise da verdade. Um fato é a intersecção entre suas versões, ou apenas uma delas? Ou nenhuma delas? Entender e sentir são sinônimos? Para meio entendedor boa palavra basta?"

"Eu sou desafinado mas berro bem as palavras. Para transformá-las em coisas, em vez de substituirem as coisas."

"Quem é mais culpado pela vida besta o medo de morrer ou o medo de sofrer?"

"[...]Mas contra o sol da purez não há peneira ideológica."

Chega! Já escrevi/ copiei demais!

Além dos livros eu li alguns textos do Caio Fernando Abreu que é minha paião, mas hoje não falarei nada sobre eles. Fica pra um outro dia...

Encerro esse post com a frase da Adriana, personagem do livro da Fernanda Young:
"...a elegância estava diretamente ligada à leitura."

Por isso, vamos ler moçada!

Beijos
A.


quarta-feira, 10 de agosto de 2011

O que podemos aprender com: Desenhos

Quem me conhece sabe que eu sou uma amante de filme infantis. Sim, eu adoooro desenhos.
Acredito que esses filminhos por mais bobos que pareçam sempre tem mais a ensinar aos adultos que às crianças. Até porque crianças vêem esses filmes como algo bonitinho, legal, engraçado. Já uma pessoa com um pouco mais de maturidade tenta enxergar o lado inteligente do desenho, a lição que ele trás.
Eu tenho uma lista de desenhos preferidos, desenhos esses que me fizeram e dependendo do grau de tpm ainda me fazem chorar ou rir e que cada vez que assisto tiro uma nova lição, um novo jeito de interpretar o filme.
Meu desenho e filme preferido é Lilo & Stich. Já assisti um milhão de vezes, sei todas as falas, narraria o filme aqui numa boa, mas não é sobre isso que quero falar. Hoje eu assisti mais uma vez esse filme. Tive um dia não muito bom, estava meio borocoxô e resolvi colocar uma coisinha leve pra me trazer paz e me ajudar a dormir tranquila. Pois bem, assisti e comecei a ter milhões de pensamentos e um deles eu trago a você (que ainda está tendo paciencia de ler esse lenga lenga)...
Sempre assisti ao filme pensando no conceito de família que ele trás. Ok, acho que esse é o ápice do filme, tanto é que eles repetem bastante o que é e a importancia da família na nossa vida, mas hoje eu reparei em outra coisa, o filme fala também sobre mudanças e em como o amor e a força de vontade está ligado a isso.
Vou explicar... O Stich é uma experiência criada por um alienígena nomeado a principío de 626 criado para destruir qualquer coisa e ser indestrutivel. Criado para ser mau-resumindo. Acidentalmente ele cai na Terra e vai parar num canil onde a Lilo o encontra achando que ele é um cachorro. A partir desse momento as coisas começam a mudar, porque a Lilo começa a dar uma coisa que até então ele nunca tinha visto- carinho- Ela cuida dele, trata bem ele e briga quando ele faz coisas ruins,ela da um nome para ele (Stich). Ele percebe que ela fica triste quando ele faz algo que dá errado e começa a se esforçar para alegra-la e esse é o ponto de hoje:

Carinho+Estimulo=Força de vontade+Reconhecimento=Mudanças!!!

Pau que nasce torto PODE se endireitar. Basta querer!

Eu acredito na mudança das pessoas. Acredito que elas possam melhorar e acredito que se tem alguém que eu goste e que eu acho que precisa de mudanças eu posso ajudar, afinal, apoio é sempre bem vindo.
Quando agente quer agente muda, seja pra ficarmos mais felizes ou para deixarmos alguém feliz, basta vim um incentivo, um estimulo e "puft" lá estamos nós abandonando velhos hábitos, vícios, manias... Esse estimulo, no filme, é um assistente social que ameaça separar Lilo da irmã mais velha.
Na vida isso pode ser uma separação, um novo amor, um gelo dos amigos, uma doença, entre várias outras coisas que nos obrigam a mudar. Porém essas mudanças devem valer de alguma coisa, precisam de um retorno. O Stich criado para ser ruim, reprime seu instinto por conta do amor que recebe de uma garotinha. Quantas vezes você já se reprimiu por algo que valesse a pena? E quantas vezes você reconheceu e retribuiu uma mudança de maneira carinhosa?
As vezes a pessoa que você mais queria que mudasse só não muda porque você não dá nem o estimulo e nem o reconhecimento que ela precisa pra se sentir segura a dar alguns passos.
Mudanças são sempre arriscadas, não é fácil mudar, não é fácil se habituar a novos conceitos ou manias. Mudanças as vezes estão ligadas a deixarmos de lado um pouco a nossa essência para construirmos algo novo e isso é sempre muito arriscado. Porque sempre têm a "pulguinha" dizendo: "vale a pena"? Eu te garanto, mudar pelo outros eu não sei. Mas mudar por você, com certeza!
Preste atenção, para saber se vale a pena mudar pense: Quando uma pessoa fala que você precisa mudar em algo pense mas desconfie. Quando duas pessoas falarem, continue pensando mas sem desconfiar tanto. Quando três ou mais falarem, meu querido ou minha querida, já passou da hora de tu olhar no espelho e trocar de moda ne?
Um livro muito bom que fala sobre esse tema,mudanças, é o "Quem mexeu no meu queijo". Vale a pena ler.

Acho que por hoje é mais ou menos isso...Já dei dica de filminho e de livro e falei um pouco sobre o que eu penso...
O post de hoje não ficou muito bom, mas é o que disse no início, hoje estou meio borocoxô, meio chateada. Prometo que o próximo terá um pouco mais de conteúdo..rsrsrs
Portanto um beijo pra você que teve paciência de ler tudo até o final... Rumo a mudanças hein?!
Beijoes
A.

terça-feira, 9 de agosto de 2011

Querer e Ter!

"[...]-Eu não sei se quero esquece-lo
-Eu queria poder escolher entre querer e ter que esquece-lo
-É só mais um passo e puft eu sei que eu posso mas será que eu quero?
-Eu sei que eu tenho.[...]"


Essa conversa aconteceu num grupo de meninas em uma tarde e hoje parei para pensar nela e escrever sobre ela e elas...
Acredito que mulheres são bem mais complexas em relação a seus sentimentos e pensamentos. Pensamos em tudo, até para esquecermos alguém agente tem que pensar se vale a pena ou não. Ai eu te pergunto mas pra que pensar tanto? Pensar se vale a pena esquecer alguém? Pois é. Eu acho que agente pensa tanto porque a partir do momento que falamos "esqueci", "passou", é porque passou mesmo, a pessoa não trás mais nenhuma sensação. Nem boa, nem ruim. As vezes eu até me esqueço de coisas que vivi com ela e me fizeram bem, ou quando lembro, penso nelas sem sentir. Isso, eu não acho muito legal. Há pessoas que foram especiais, fizeram parte de grandes momentos na minha vida mas insistem em serem "esquecidas" e eu realmente me esqueci de muitas delas. Não esqueci nome, nem momentos, mas o sentimento, esse é como se houvesse apenas um concreto com uma plaquinha de "Fulano de Tal aa/aa/aaaaa-aa/aa/aaaa".
Eu gosto de levar a sério essa historia de realmente enterrar as coisas mas demooooro pra fazer esses velorios, sempre fico pensando em dar um segunda,terceira, milesima chance...Ai quando eu já to quase me enterrando resolvo armar o funeral...rsrs
Por um lado é otimo, eu acho que quanto mais demoro mais fico tranquila depois que "enterro", dá a sensação de "tudo que eu podia fazer eu fiz"! É triste do mesmo jeito, como diria Tati Bernardi:"..o fim do amor é ainda mais triste que o nosso fim.", e ela tem razão, é muito mais triste já que sai o amor e fica o nada, o vazio...
Voltando ao diálogo, eu ainda acho que é melhor querer esquecer do que realmente ter que fazê-lo, se bem que por um lado quando você chega no ponto de achar que está querendo é porque algo ou alguém já não valem tão a pena que você realmente até deve deixar pra trás, seguir a vida, aguardar novas pessoas, novas chances... Lembre-se AGUARDAR! Não vá sair desesperado ou desesperada atrás de uma nova pessoa pra esquecer mais rapido ou só pra dizer pra você mesmo que o "defunto" não era assim tão especial ou a melhor pessoa do mundo. Esqueça e espere que outras pessoas apareçam. Aquela historia de nada melhor que um novo amor para esquecer outro é b-a-l-e-l-a! Você até se encanta, se apaixona, se relaciona e gosta desse novo amor, mas espere pela primeira decepção que ele te dará e você vai lembrar do amor antigo que você fingiu esquecer, aquele que um dia fez tudo por você e você por estar "encantado" com uma coisa nova se deixou ser enterrado!
Portanto, de tudo sobram algumas conclusões:
1. Quando você quer você consegue;
2. Se você entra na duvida de querer esquecer alguém é pq esse alguém já não vale mais tanto a pena assim;
3. Se você tem que esquecer alguém e já fez tudo que podia pra mudar essa situação, enterre!;
4. Não se confunda, esquecer alguém é diferente de se encantar por outro alguém;
5. Confie nas suas decisões e seja firme, prepare um lindo velorio, curta seu luto e siga em frente.

"Não a felicidade que dure para sempre e nem sofrimento que nunca acabe"

Beijocas
A.